JURÍDICA

O que fazemos:
Temos uma equipe advogados em diversos departamentos que dialogam com todos os seguimentos para melhor atingir os objetivos das organizações empresariais.

CONTÁBIL

O que fazemos:
A consultoria contábil de prevenção é fundamental para manter a saúde financeira da organização empresarial e ainda evitar sanções governamentais por obrigação não cumprida.

COMPLIANCE CONDOMINIAL

O que fazemos:
“Aos Síndicos não bastam serem honestos, devem ter aparência de honestos” O leitor desavisado deve estar perguntando-se: – Mas qual é a novidade em ser honesto? Isso é indispensável, mas a gestão do síndico vai muito além disso, existem conseqüências gravíssimas em suas atitudes e omissões. Podemos ainda ingenuamente, estar pensando: – Mas a assembléia aprovou? Quem já foi em uma reunião de condomínio já assistiu vários ruídos (pessoas gritando, às vezes “plantadas” para desviar o assunto), seja por falta de experiência, seja por desejarem que a reunião chegue ao fim para retornarem as suas casas, portanto, o importante não é aquilo que acontece na assembléia, mas o antes, isso porque esses mesmos condôminos podem alegar no futuro que foram levados a erro pelo síndico, sendo assim, a própria transparência protege o gestor de responder civilmente e criminalmente. O termo “compliance” está delineado em estar em conformidade com leis e regulamentos externos e internos, o grande problema começa justamente porque os “regulamentos” e “convenções” são criados praticamente quando não há moradores. Mudar a convenção é outro desafio, justamente porque existem investidores (donos de vários lotes/aptos.) que nunca compareceram no condomínio e entregam diversas procurações em branco. Existe ainda o amigo do amigo do síndico; existe aquele que possui um interesse particular; existe aquele que cometeu um erro e não foi multado, logo um acordo de cavalheiro, do tipo “vota no meu projeto para não ser multado”; existem ainda os conselheiros que face seus problemas particulares, podem ser facilmente manipulados; existem os inadimplentes que não votam, mas vão pagar igual a todos com juros e multas, e existe o síndico com muitas idéias e atitudes, mas ninguém dá limites e pela vaidade acaba embebecido pelo poder e excedendo os limites legais; e, claro, os desonestos. Afinal, como a APLICAR na prática, as técnicas de COMPLIANCE, que ganharam força após a operação LAVA JATO e deixou bem claro que CONTAS APROVADAS por qualquer órgão não é certeza de licitude (legalidade), quanto mais aprovadas meramente por conselhos ou assembléias. Nossa sugestão para melhor transparência nos condomínios é: a vedação da reeleição; conselheiros não poderiam ser candidatos na eleição seguinte; caso o síndico seja remunerado, o último pró-labore deve ser usado para aferição das contas (auditoria); as notificações (multas aos condomínios) devem ser numeradas com sequência de conhecimento público, diminuindo as chances de “corrupção” (estamos usando essa expressão por analogia); a comissão de ética e transparência devem avaliar mensalmente a atitude do síndico; membros do conselho consultivo ou fiscal não devem presidir a mesa; os secretários das administradoras não devem intervir na assembléia, exceto caso tenha sido dado a palavra; em regra todas as reuniões devem ser gravadas e todos devem ter acesso!
Indubitavelmente, chegamos a conclusão, que existe condomínio que movimenta “Milhões”, ocorrem festas, obras, compras, ninguém geralmente conferi, compara analisa, com certeza não é no BALANCETE que iremos encontrar os erros, já pegou, por exemplo, a BAIXA DE PAGAMENTO, ACORDOS, EXTRATO BANCÁRIOS, confissões de dividas, já consultou os processos judiciais, com certeza na assembleia, não terá tempo para analisar, razão porque é necessário uma analise ANTES, uma boa partes do síndicos são honestos, mas uma outra partes são desonestos e incompetentes, e não estamos dizendo daqueles que não são remunerados, estamos falando daqueles que possuem remuneração, sendo assim, tiver oportunidade de deixar um legado, é importante criar comissões permanente para controlar e fiscalizar.

GESTÃO DO RISCO DE IMAGEM

O que fazemos:
As organizações empresariais, e pessoas que vivem da sua própria imagem na qual elas próprias são o pilar como jogadores de futebol, artistas, necessitam dialogar com diversas outras área para ao agir ser politicamente correto, não fosse a prevenção muitas vezes é necessário ser criado de forma urgente um “Gabinete de Crise” para diminuir os impactos de ações ou omissões danosas, podemos alguns exemplos:
Perda de confiança dos clientes
Danos de Imagem
Perda de reputação
Algumas causas:
Fornecimento de crédito sem embasamento
Vantagens devido a relacionamentos políticos
Indícios de Lavagem de Dinheiro
Desrespeito ao meio ambiente
Situação financeira delicada
Atender mal os clientes
Fornecimento de crédito sem embasamento
Vantagens devido a relacionamentos políticos
Indícios de Lavagem de Dinheiro
Desrespeito ao meio ambiente
Situação financeira delicada
Atender mal os clientes

AUDITORIA PONTO DE VENDA/CLIENTE OCULTO

O que fazemos:
As organizações empresariais investem milhões com propagandas, ponto comercial, treinamentos e afinal como na pratica está sendo feito o oferecimento dos serviços ao cliente final, afinal como é o ponto de vendas, como é o atendimento no call center, é ventilado, tempo no atendimento, as regras do consumidor, as regras da empresa.
Logo, será apresentado relatório aprofundo sobre o comportamento dos colaboradores, a abordagem, aparência, conhecimento do produto, agilidade no atendimento, entre outros para que as organizações empresariam possa implementar melhorias, trabalhar o ponto fortes em detrimentos dos pontos fracos.

AUDITORIA DE DETECÇÃO DE FRAUDES EMPRESARIAL

O que fazemos:

GERENCIAMENTO DE RISCO

O que fazemos:
Identificar os riscos;
Fazer uma análise quantitativa e qualitativa;
Planejar respostas aos riscos;
Mensurar os riscos.